Alodinia Cutânea – A dor de cabeça após prender o cabelo!

Olá!

Todas as vezes que eu prendo meu cabelo, principalmente quando prendo bem forte, uma certeza eu tenho: minha cabeça vai doer!

Tem dias que quero fazer aquele baita rabão de cavalo altão mas na hora hora já lembro: minha cabeça vai doer!

As vezes quando preciso prender (por causa do ballet e tudo mais) eu tomo uma analgésico antes por precaução. Sei que é errado, mas as vezes é preciso, pois se eu não tomar remédio antes eu acaba tendo enxaqueca depois!

Após fazer umas pesquisas vi que isso é muito comum em várias pessoas, principalmente as que sofrem de enxaqueca. E o nome desse bendito problema é alodinia cutânea.

Alodinia Cutânea – A dor de cabeça após prender o cabelo!

A alodinia cutânea é caracterizada por uma dor que acontece após estímulos não dolorosos. Explico.

Se a gente bate nosso dedinho na quina da mesa é normal que ele doa, afinal aconteceu um trauma e o corpo responde a este trauma através da dor. Se a gente se corta, é normal que doa, afinal também teve um trauma na pele e o corpo também irá responder através da dor.

A mesma coisa acontece quando nossa garganta inflama. A garganta recebeu um estímulo (provavelmente uma bactéria) e o corpo responde a essa alteração através da inflamação, como uma forma de avisar: “Ó, tem um bicho aqui!”. E um dos sintomas da inflamação é a dor, que serve para avisar pra gente que tem algo errado.

Na alodinia cutânea a dor aparece sem que haja um estímulo real de dor.

Existem três tipos de alodinia:

  • Térmica: quando a pessoa sente dor a, por exemplo, água fria.
  • Mecânica: quando a pessoa sente dor a movimentos, como exemplo, puxar um lençol pela pele.
  • Tátil: Ocorre devido a um tato ou pressão leve sobre a pele.

No caso das dores de cabeça causadas pelo cabelo preso, o tipo de alodinia cutânea é a tátil, que acontece após um leve puxão dos cabelos para trás.

Ao fazer um penteado muito apertado ou puxado para trás, é comum que os nervos que existem na região do couro cabeludo acabem sendo mais ativados. A dor pode aparecer logo de imediato ou ir aumentando com o tempo, transformando uma pequena dorzinha em uma enxaqueca super forte!

Isso pode acontecer com várias pessoas, mas é muito mais comum em pessoas que sofrem de enxaqueca crônica.

Não se sabe exatamente a causa e infelizmente não há um tratamento eficaz.

A única coisa a se fazer é evitar o estímulo de dor, ou seja, evitar prender o cabelo. 🙁

No meu caso, sempre tenho dor na testa quando prendo o cabelo para trás. Mas quando prendo pro lado, sinto que não tenho dor (até tenho, mas raramente).

Então o ideal é ir testando mesmo até encontrar um meio termo.

Quando preciso mesmo prender, eu faço isso de tomar um analgésico antes. Não é o indicado e não sugiro que faça isso sem indicação médica, ok?

Falei com meu neurologista e ele disse que se for de vez em nunca, até pode. Mas é por isso que eu sempre acabo por prender de lado (pois não dói) ou prendo só um pouquinho em cima.

Alguém aí sofre com esse problema?

Se sim, me conta quais seus truques para evitar essa dorzinha chata!

Beijokas!

Comentários

comentários

Comenta, vai!

Your email address will not be published.

Acho que você também vai gostar

Here you can find the related articles with the post you have recently read.