5 erros ao escolher o tom da base

Olá!

Escolher o tom da base nem sempre é uma coisa fácil, né?

As vezes a gente vai na loja, fica escolhendo por horas e quando chega em casa, a cor ainda sai errada!

Por isso é que no post de hoje vou dividir com vocês 5 erros muito comuns que a gente costuma cometer na hora de escolher o tom da base.

Se prestarmos atenção e não cometermos esses erros, nunca mais vamos errar na hora de comprar nossa base!

5 erros ao escolher o tom da base

1 – Não testar no rosto

Erro muito comum que eu tenho certeza que você comete!

Na hora de testar a base muita gente testa ou no dorso na mão, que geralmente é mais bronzeado que o rosto (já que usamos filtro solar facial com mais frequência) ou na parte de dentro do antebraço, que é mais clara. Resultado: a cor escolhida não dá muito certo com a cor do rosto!

Então na hora de escolher o tom da base, teste no rosto, ok?

2 – Não respeitar a diferença de tom entre rosto e pescoço

Geralmente nosso rosto é um pouco mais claro que o pescoço. Então na maioria das vezes, na hora de escolher a base o ideal é que ela seja mais próximo da cor do pescoço, para não dar diferença entre pescoço e rosto e não acontecer algo tipo isso:

Por isso ao testar a base, teste perto do queixo e espalhe para o pescoço, escolhendo uma cor que fique certinho para as duas partes.

3 – Não levar em consideração a luz da loja

Geralmente lojas de maquiagem possuem uma luz muito clara, o que ajudam as vendedoras na hora de fazer uma maquiagem na cliente.

Mas essa luz pode ser prejudicial na hora de testar os produtos, pois as vezes nós não percebemos que o produto pode estar muito escuro, já que a luz está clara. Pode acontecer o contrário, caso a luz seja fraca.

O ideal então é testar a base no rosto, sair da loja e testá-la em outras iluminações. Vá ao banheiro no shopping, na luz natural, enfim, vá em outros lugares com luzes diferentes para ter certeza que aquela cor é a correta.

Eu mesma já errei ao comprar um corretivo em uma loja da MAC, a luz era superforte e achei que estava ok, quando cheguei em casa, ficou muito escuro. 🙁

4 – Não respeitar o seu subtom de pele

Toda pele tem um subtom, que pode ser rosado, amarelado ou neutro. E é importante você saber seu subtom para escolher a base ideal.

Se você tem um subtom amarelado e compra uma base com fundo amarelado, existe uma grande chance de você se tornar um simpson ao usar essa base.

O ideal é comprar bases que neutralizam o seu subtom, para deixar o resultado mais natural. Eu tenho pele amarelada e compro bases com fundo rosado, para neutralizar o amarelo.

Para descobrir o seu subtom, existem algumas dicas:

  • Observe o tom das suas veias. Pessoas com subtons de pele quente (amareladas) possuem veias esverdeadas. Pessoas com subtons de pele fria (rosadas) possuem veias azuis ou violetas. Já as pessoas com subtom de pele neutra possuem veias misturadas azuis e verdes.
  • Coloque um objeto dourado e um prateado em cima da sua pele. Se a pele combina mais com o objeto dourado, a pele é amarelada. Se combina mais com o prateado, é rosada. Se combina com os dois, é neutra.

Depois de descobrir seu subtom, escolha bases que neutralizem esses subtons. Bases amareladas neutralizam o rosado e vice-versa. 😉

5 – Não levar em consideração que o tom de pele pode sofrer mudanças durante o ano

No inverno geralmente nós não pegamos sol, por isso nossa pele costuma estar bem mais clara. Ao contrário do verão, que pegamos aquele bronze e podemos escurecer até dois tons de pele.

E isso é importante na hora de escolher o seu tom de base. Se você comprou uma base no inverno, provavelmente ela não servirá no verão, pois será muito clara!

Se comprou uma base no verão, no inverno ela estará muito escura!

Então você terá que ter em mente que você tem que ter dois tons de base: um para o verão e outro para o inverno!

A não ser que você seja como eu, fantasminha que não pega sol no verão. Eu fico branquela o ano inteiro então uso sempre o mesmo tom de base, o ano inteiro! 😉


Agora é só ficar de olho, não cometer esses erros e nunca mais errar na escolha do tom de base!

Beijokas!

6 Dicas para diminuir a oleosidade do cabelo

Olá!

Quem aí tem cabelo oleoso?

É um saco, né? Lavar o cabelo num dia e no outro, o ele já tá lá oleoso de novo pedindo para ser lavado!

Mas sabia que existem algumas dicas que vocês podem seguir para ajudar a diminuir a oleosidade dos fios? Vem comigo que no post de hoje eu vou dividir essas dicas com vocês!

6 Dicas pra diminuir a oleosidade do cabelo

1 – Usar shampoo para cabelos oleosos

Essa é básica, né? O cabelo oleoso tem mais sebo que o normal e por isso precisa de um shampoo com um maior poder de limpeza, para retirar bem o excesso de oleosidade.

Escolha aquele que mais se adapta com seu cabelo.

2 – Use TAMBÉM um shampoo hidratante

Oi? Como assim? Cabelo oleoso usar shampoo hidratante? Cê tá doida, Manu?

Calma que eu explico! Já ouviram falar em efeito rebote? Se não ouviram, recomendo que leiam o post abaixo:

O que é efeito rebote?

Resumindo rapidamente, é a forma que o corpo encontra de produzir algo que foi retirado dele. Se você tem cabelo oleoso e retira TODA a oleosidade no seu cabelo com o shampoo, o corpo pensa: ihhh, o cabelo da moça tá seco! Vou fabricar mais óleo!

Aí a oleosidade vem em dobro! Para contornar isso, você precisa “falar” pro corpo que tem um pouco de hidratação ali, usando um shampoo hidratante de vez em quando!

Use um shampoo hidratante, mas que tenha um bom poder de limpeza. Assim você não vai correr o risco de ficar com o cabelo pesado.

A frequência de uso do shampoo hidratante deve ser estabelecida por você, de acordo como seu cabelo reage.

Você pode usar o shampoo hidratante uma vez por semana, duas vezes por semana, lavagem sim, lavagem não… você vai ter que fazer os testes para saber qual a frequência ideal para o seu caso.

Independente da frequência escolhida, lembre que no dia que for usar o shampoo hidratante, ele deve ser usado JUNTO com o de cabelos oleosos.

No mesmo dia, na primeira lavagem, use o shampoo para cabelo oleoso. Na segunda, o shampoo hidratante. 😉

3 – Faça umectação capilar (inclusive na raiz)

A umectação capilar, se feita com óleo 100% vegetal, além de nutrir o cabelo vai nutrir o couro cabeludo e diminuir o efeito rebote sobre qual expliquei no tópico anterior.

É uma forma de falar pro corpo: ó, tirei o óleo mas tô colocando de novo, viu corpinho?

Com isso o couro cabeludo vai fabricar menos óleo e diminuir a oleosidade.

As umectações podem ser feitas a cada 30 dias para cabelos normais e a cada 15 dias para cabelos danificados.

4 – Faça peeling capilar

O peeling capilar ajuda a limpar bem o couro cabeludo, oxigenar melhor a raiz do cabelo, ajuda a diminuir a oleosidade e a caspa e ainda auxilia no crescimento dos fios.

Existem vários produtos na perfumaria que fazem peeling capilar, escolha o que mais se adapta ao seu bolso e gosto!

O peeling capilar também é conhecido como tratamento pré-shampoo. A Natura, Boticário, Bioextratus e Lola possuem produtos para esse fim!

5 – Evite o uso de ferramentas térmicas

O uso de secador e chapinha aumenta a temperatura dos fios e isso ajuda a aumentar a oleosidade do cabelo.

Tente evitá-las, assim você terá um cabelo menos oleoso e também menos danificado!

6 – Utilize tônicos capilares

Os tônicos capilares são uma mão na roda na hora de controlar a oleosidade do cabelo, pois eles agem diretamente na causa do problema, ou seja, na raiz!

Alguns são usados antes da lavagem, outros depois , e você deve usá-los de acordo com as especificações do fabricante.

Os tônicos ajudam a diminuir e muito a oleosidade do cabelo, caspa, queda e auxiliam no crescimento dos fios.

A Salon Line e Haskell possuem tônicos específicos para controle de oleosidade.


Sigam essas dicas que a oleosidade do cabelo de vocês ficará muito mais controlada!

Façam e depois me contem os resultados, combinado?

Beijokas!

5 dicas para cuidar dos cabelos longos

Olá!

Quem aí tá com o cabelo compridão?

O meu está bem longo, fazia um tempão que não deixava o cabelo desse tamanho!

Por isso mesmo eu tinha até esquecido dos cuidados que esse tipo de cabelo merece.

Mas agora eu já lembrei dos cuidados, estou pondo em prática e claro, vou dividi-los com vocês! 😉

Vem comigo que eu vou contar 5 dicas especiais para cuidar dos cabelos longos!

5 dicas para cuidar dos cabelos longos

1 – Cuidar da raiz

Muita gente acha que a parte mais importante dos cuidados com os fios longos são as pontas, né?

Bom, as pontas muito importantes, mas se você não cuidar da raiz o cabelo não crescerá saudável, além de aumentar o risco de queda e quebra do cabelo na raiz.

Por isso é importante cuidar da raiz utilizando shampoos específicos para cabelos longos (que cuidam da raiz e hidratam as pontas) ou para cabelos oleosos, que também ajudam a deixar a raiz limpinha e refrescar o couro cabeludo.

A esfoliação do couro cabeludo também é indicada a cada 15 dias, com produtos específicos para esse fim.

2 – Hidratar muito

Depois de cuidar da raiz, é hora de cuidar das pontas. Hidrate o cabelo semanalmente, pois o cabelo longo tem uma tendência maior ao ressecamento e por isso precisa de hidratação toda semana.

O ideal é seguir um cronograma capilar, mas se você não gosta ou não tem paciência, hidrate semanalmente intercalando uma máscara de hidratação e uma de nutrição. Uma vez por mês, use uma de reconstrução.

3 – Não durma com o cabelo molhado

O cabelo quando está molhado se torna mais elástico e frágil que o normal. Se você dorme com os fios ainda úmidos, existe uma maior chance que seu cabelo se quebre, principalmente quando ele é longo, já que geralmente fica prendendo em tudo que é lugar durante o sono.

O cabelo quebrado, além de deixar um aspecto feio, aumenta o frizz. Então vamos evitar a quebra e sempre seque o cabelo direitinho antes de dormir.

4 – Use protetor térmico

Se você usa secador e chapinha com frequência, o uso do protetor térmico é indispensável, principalmente para os longos.

Imagine que o cabelo longo é um cabelo “velho”, pois ele nasceu faz tempo lá do couro cabeludo e até chegar no comprimento que está, ele sobreviveu a muitas químicas, poluição, secador e etc.

Ou seja, um cabelo longo é um cabelo mais frágil, então usar ferramentas térmicas aumentam ainda mais a fragilidade do fio, aumentando o risco de ressecamento e quebra.

O protetor térmico vai proteger o calor do secador e dependendo do produto escolhido, vai hidratar e reconstruir o fio de cabelo. Por isso use sempre!

5 – Não use elásticos apertados

Aqui entra a mesma regra do tópico anterior: cabelo longo geralmente é mais frágil. E se você prende os fios num elástico muito apertado, a chance deles se quebrarem é muito grande.

Então ao prender o cabelo, não aperte muito os fios e nem use um elástico muito apertado.

Opte pelos prendedores que tem proteção de tecido em volta, pois eles protegem os fios.


E aí, gostaram das dicas?

Tem algum outro cuidado com o cabelo longo que vocês gostam e querem dividir comigo? Vou esperá-las nos comentários!

Beijokas!

Com qual frequência devo cortar o cabelo?

Olá!

Você acabou de cortar o cabelo, tá com ele todo lindo, leve e solto por aí e provavelmente já deve ter pensado: quando tenho que cortar ele de novo?

Com qual frequência devo cortar o cabelo? Se você já teve esse essa dúvida, esse post é pra você!

Com qual frequência devo cortar o cabelo?

A frequência ideal de corte de cabelo vai depender do comprimento dos seus fios. Quanto maior o cabelo, menos ele precisa ser cortado!

Cabelos curtos

O cabelo curto demanda mais cuidados, porque ele cresce e rapidinho perde o corte. Se for curtíssimo, estilo joãozinho, o corte tem que ser refeito a cada 45 dias.

Se for um curto maior, estilo chanel, o corte pode ser refeito a cada 2 meses.

Cabelos médios e longos

Nesses casos o crescimento não é tão percebido e esse tipo de cabelo demora pra perder o corte, então não é necessário enfrentar a tesoura tão cedo.

Se você cuidar direitinho e hidratar com frequência, o corte pode ser refeito a cada 6 meses. Isso se você quiser manter seu corte, mas se estiver deixando crescer dá pra segurar mais um pouco e ficar até uns 8 meses sem ver a tesoura.

Agora, se você não cuida do seu cabelo e abusa do secador e chapinha, as pontas duplas vão aparecer e a vitamina T vai ser necessária. Nesse caso, o corte precisa ser refeito a cada 3 meses, sem choro nem vela. Então que tal começar a cuidar melhor do seu cabelinho, hein?

Cabelos crespos

Cabelos crespos geralmente precisam de um bom corte para a manutenção do volume. Aquele cabelo afro lindão as vezes só fica desse jeito com um bom corte repicado.

Se perde o corte, o cabelo pode perder um pouco da definição e do volume.

Nesse caso, o corte precisa ser refeito a cada 3 ou 4 meses.

Franja

A franjinha precisa de uma atenção especial, pois ela cresce rápido e logo perde o corte.

Se a franja for curtinha, daquelas no meio da testa, o corte precisa ser refeito a cada 15 dias. Já as maiores, que ficam na região da sobrancelha, precisam ser aparadas a cada 30 dias.


E aí, gostaram do post?

Qual a frequência de corte do cabelo de vocês? Eu corto mais ou menos a cada 8 meses!

Beijokas!

Do loiro ao ruivo!

Olá!

Alguma loirinha aí quer ficar ruivinha? Então esse post é pra você!

Nele eu vou dar todas as dicas do que fazer para sair do loiro para o ruivo, o que fazer para manter a cor, o que fazer para desbotar menos e como fazer para cuidar do seu novo cabelinho ruivo!

Do loiro ao ruivo

Sair do loiro não é tão fácil assim como parece! Porque você não pode simplesmente tacar qualquer tinta nele já que dependendo da cor que você colocar, o resultado pode ser desastroso! Sabe aquela história de que se colocar tinta preta no loiro ele pode ficar verde? É verdade!

Isso acontece porque o cabelo está descolorido e colocar um pigmento forte demais sem uma preparação pode causar um efeito contrário de cor.

E isso também pode acontecer se você é loira e pretende ir para o ruivo! Não pode jogar a tinta direto no cabelo (depende do tom de loiro) e por isso pode ser preciso uma pré-pigmentação. Mas calma, eu vou explicar tudinho, basta seguir os passos abaixo:

1 – Escolher o tom de ruivo

Primeiramente você vai precisar escolher qual ruivo você quer. Um mais escuro, tipo um 7.4? Ou um clarinho, strawberry blond, que é um 9.4? Um cereja 6.66?

Escolha certinho o tom que você quer. Se está perdida em relação aos tons de ruivo, recomendo que leia o post abaixo:

Tons de ruivo e como conseguir cada um deles

2 – Analisar a cor atual do cabelo

Para saber se é preciso ou não fazer uma pré-pigmentação vai ser necessário analisar a cor atual do cabelo.

A pré-pigmentação é sempre necessária quando você vai utilizar um tom mais escuro que a cor atual do seu cabelo

Vou dar um exemplo:

Se você tem um cabelo na altura do 8 e quer usar um ruivo 8.4, não será preciso pigmentar antes já que o tom que você deseja está na mesma altura (8, louro claro).

Agora, se você tem um loiro na altura de um 9 (louro claríssimo) e quer usar um 7.4, a pré-pigmentação é necessária.

4 – Comprar as tintas

Já escolheu o ruivo e sabe que vai precisar pré-pigmentar? Agora é preciso comprar as tintas!

Lembre-se que na pré-pigmentação é necessário usar a mesma cor que você vai tingir o cabelo, então será necessário comprar um tubo extra de tintura!

Se você usa 1 tubo de tintura para tingir, compre mais um para pigmentar. Se o cabelo for longo ou volumoso, talvez seja necessário comprar mais tubos. Não economize, é melhor sobrar tinta do que faltar, hehe!

Lojas virtuais para comprar tintas ruivas

3 – Fazer a pré-pigmentação

Como falei anteriormente, se você vai escurecer nem que seja 1 tom do seu cabelo atual, a pré-pigmentação é necessária. E vou ensinar como fazer. Você vai precisar de:

  • 1 tubo de coloração da mesma cor e marca que você vai tingir o cabelo (o ruivo escolhido)
  • água morna
  • 1 pote de plástico
  • 1 pincel de tintura

Você vai misturar a coloração com a água morna na mesma proporção. Se o tubo vem com 6oml de tinta, você vai acrescentar 60ml de água morna.

Com o cabelo seco, aplique a mistura de tinta e água em todo o cabelo, da raiz as pontas. Deixe agir por 20 minutos.

Sem enxaguar, tire o excesso de produto com uma toalha (velha, porque mancha!) e agora passe a tintura mesmo, dessa vez com água oxigenada.

Se você estiver escurecendo, use água oxigenada de 20 volumes. É melhor para fixar o tom.

Aguarde mais 40 minutos (tempo de ação da tinta), enxágue e finalize.

Essa é a forma correta de se escurecer um cabelo, seja para qual tom for, ok? No post usei o ruivo mas a técnica pode ser usara para qualquer cor de cabelo!

4 – Cuidar bastante

Agora que você ficou ruiva, é importante cuidar dos fios para evitar que eles ressequem e fiquem danificados.

O melhor tratamento é o cronograma capilar. Mas se você não puder seguir, uma hidratação 1 vez por semana já ajuda bastante!

Cronograma capilar: o guia definitivo

Se puder, faça uma cauterização logo em seguida da coloração. Isso ajuda a fechar as cutículas e faz a cor fixar por mais tempo.

5 – Evitar o desbotamento

O cabelo vai desbotar? VAI! E muito, principalmente nos primeiros dias. Não tem jeito, gente, cabelo loiro quando escurece desbota mesmo. Mas depois de umas 3 ou 4 colorações a cor pega direitinho e depois não desbota mais com tanta facilidade.

Durante esse tempo de desbotamento você pode seguir algumas dicas para evitar que desbote mais que o normal:

  • Use shampoos sem sulfato – ajuda a manter a cor
  • Utilize condicionadores e máscaras com pH baixo – ajuda a selar a cutícula e mantém o pigmento no cabelo por mais tempo
  • Utilize protetores térmicos – o calor do secador e chapinha desbota o cabelo, então o protetor vai ajudar a proteger os fios e consequentemente, diminuir o desbotamento
  • Utilize finalizadores com proteção solar – o sol também desbota o cabelo, então proteja-o!

6 – Desbotou? Tonalize!

O ideal é que o retoque da cor seja feito a cada 30 dias, pois é um bom intervalo para que você possa tingir de novo sem danificar os fios.

Mas caso ele desbote antes dos 30 dias, utilize um tonalizante, pois ele vai devolver a cor para os seus fios sem danificar.

Se você não entende nada de tonalizante, eu tenho um guia especial para você:

Guia definitivo do tonalizante!

Com essas dicas você conseguirá virar uma ruivinha linda, com o cabelo de cor incrível e ainda por cima saudável! 😉

Atenção especial:

Cabelos platinados

Se o cabelo for platinadão, daqueles beeem claros, e você deseja ir pra um ruivo mais escuro (na altura do 6 ou 7), o ideal é que você faça o procedimento em duas etapas.

Isso porque não é indicado escurecer mais que dois tons de uma vez, para não correr riscos de cores indesejadas ou manchas.

Vou dar um exemplo do que fazer:

Vamos imaginar que você tem o seu cabelo na altura de um 11 (loiro ultraclaro) e você quer usar um ruivo 7.4, faça da seguinte forma:

  • Etapa 1: escurecer dois tons, fazendo pré-pigmentação e tingindo o cabelo com a cor 9.4
  • Etapa 2: escurecer mais dois tons, fazendo outra pré-pigmentação e tingindo com a cor 7.4

Essa forma é mais indicada e segura para os platinados!

Cabelos com raiz escura e pontas claras

Se seu cabelo está com a raiz escura e as pontas claras, o procedimento é mais complicado.

O correto é fazer uma pré-pigmentação e tingir o cabelo com ox de 20 nas partes claras. Na raiz escura, utilizar a mesma tinta com ox de 30, para igualar a cor.

Só que eu sinceramente não indico fazer isso em casa, porque é muito trabalhoso e chance de manchar é grande. Nesse caso é melhor procurar um profissional!

Cabelos com luzes

O procedimento aqui é ainda mais complicado, porque é necessário escurecer as luzes e clarear as partes escuras. Isso é serviço para profissional, procure um cabeleireiro!

Se você quer aprender mais sobre ruivo, não deixe de ler esse post:

Enciclopédia do cabelo ruivo perfeito


Essas são minhas dicas para que você saia do loiro para o ruivo com segurança, mas eu sempre indico que se possível, procure um profissional para fazer tudo, nem que seja só a primeira coloração. Afinal é muito melhor fazer o serviço com um profissional qualificado e que você sabe que vai fazer tudo certinho, né?

Beijokas!

5 dicas para diminuir o frizz!

Olá!

Ai o frizz…aqueles temíveis fios arrepiados que costumam aparecer para estragar nosso penteado e muitas vezes até o nosso humor!

Porque você vai lá, faz uma escova super linda, ou então arruma aqueles cachos de arrasar e quando sai na rua e bate um vento: os malditos fiozinhos aparecem dando a impressão que você enfiou um dedo na tomada e tomou um choquinho de 220v.

Porém, existem algumas dicas que você pode seguir para diminuir o frizz, sabia?

E as dicas servem tanto para as lisas como para as cacheadas e crespas! Vem comigo que eu vou dividir essas dicas com vocês agora!

5 dicas para diminuir o frizz

1 – Usar água morna para lavar o cabelo

A água muito quente é o maior vilão dos cabelos, pois ela resseca demais os fios e cabelo seco é sinônimo de frizz, viu miga?

Então nada de água quentíssima para lavar o cabelo. Use água morna e para conseguir um resultado ainda melhor, faça o último enxágue do cabelo com água fria.

2 – Usar condicionador

Muitas meninas não usam condicionador pois não acham que é necessário. Principalmente as lisas.

Mas o condicionador é responsável por fechar as cutículas abertas pelo shampoo e isso ajuda não só a diminuir o frizz, mas também a manter a hidratação do cabelo por mais tempo, e cabelo hidratado também ajuda a deixar o cabelo longe do frizz.

Então usar condicionador é um cuidado anti-frizz duplo. Não esqueça dele e use sempre!

3 – Abuse das nutrições e umectações

A nutrição capilar é a fase do cronograma que diminui de verdade o frizz do cabelo, pois o óleo deixa o fio mais encorpado e com peso, fazendo com que os fiozinhos fiquem quietinhos no lugar.

Então abuse bastante das nutrições!

A umectação então consegue ser ainda mais potente do quesito anti-frizz. Faça uma vez por semana e você verá que com o tempo seus cabelos ficarão com menos fiozinhos arrepiados!

Aprenda a fazer a umectação capilar!

4 – Não esfregue o cabelo contra a toalha na hora de secá-lo

Quando sair do banho, não esfregue a toalha contra o cabelo na hora de secar pois essa fricção pode gerar ainda mais frizz.

A forma correta é ir apertando a toalha levemente contra o cabelo, até tirar o excesso de umidade.

E se possível, opte por toalhas de microfibra, pois elas ajudam a reter mais a umidade, secando o cabelo mais rapidamente e diminuindo o frizz.

5 – Use fronha de cetim

As fronhas de tecido convencional aumentam a eletricidade estática, então quando você dorme e acorda é muito comum que o cabelo também acorde com os fiozinhos arrepiados e muito frizz.

O ideal nesse caso é utilizar fronha de cetim, pois esse tecido faz com que os cabelos deslizem e além de não embaraçar, não aumenta a eletricidade estática e não causa frizz.

Se não der para utilizar fronha de cetim, pode dormir com uma touquinha de cetim que o resultado é o mesmo! 😉


Gostaram das dicas?

Qual outra dica anti-frizz vocês tem para dividir comigo?

Me contem nos comentários!

Beijokas!