Cuidados especiais para pessoas sem tireoide

Olá!

Acho que tooooodos vocês já sabem que eu sou destireoidada, né? Hahaha!

Tive que retirar toda a tireoide ano passado por causa de um câncer, todos os detalhes sobre a cirurgia e tratamento você encontra nesses posts.

Depois que a gente retira a tireoide é preciso tomar alguns cuidados (simples!) para manter a nossa saúde em dia.

Vou dividir todos esses cuidados com vocês no post de hoje! 😉

Cuidados especiais para pessoas sem tireoide

pessoas-sem-tireoide-cuidados

1 – Fazer reposição hormonal

A reposição hormonal é obrigatória em casos de tireoidectomia, seja ela total ou parcial. Isso porque a tireoide é responsável pela fabricação dos hormônios T3 e T4, e quando não temos mais tireoide os níveis de hormônios podem zerar, trazendo uma série de sintomas desconfortáveis.

Então você vai precisar tomar o hormônio todos os dias, pro resto da sua vida.

Vá regularmente ao seu médico para que exames sejam feitos a fim de encontrar a dose hormonal correta para você.

E para tomar o hormônio é preciso seguir algumas dicas:

  • Tome SEMPRE a dose indicada pelo seu médico
  • Tome todos os dias em jejum
  • Depois que tomar o hormônio aguarde no mínimo meia hora para se alimentar. O ideal é aguardar 1 hora, mas se você não puder, 30 minutos já serão suficientes.
  • Tome sempre com um gole de água
  • Não tome outros medicamentos juntos. Tome apenas o hormônio e deixe para tomar outro remédio em média 4 horas após.
  • Não esqueça de tomar seu hormônio. Nunca. Esquecer de tomar pode fazer você ter vários sintomas de hipotireoidismo e aumentar o nível de TSH, que em grandes quantidades pode facilitar uma possível volta do câncer.

2 – Realizar alguma atividade física

O metabolismo de uma pessoa sem tireoide pode ser um pouco mais lento, mas isso depende muito de pessoa para pessoa.

Independente do seu metabolismo é importantíssimo que você pratique alguma atividade física, seja ela qual for.

Isso faz com que o seu metabolismo fique mais acelerado, contribuindo para a manutenção da sua saúde.

E claro, a atividade física vai fazer bem não só para a saúde hormonal, mas faz bem para o corpo como um todo.

3 – Se alimentar corretamente

Uma alimentação correta e equilibrada é importante para todas as pessoas. Mas quem passou pela tireoidectomia deve se atentar um pouco mais e tentar ao máximo manter uma dieta saudável.

Isso é importante para ajudar na manutenção de peso, da sua saúde e também para manter os níveis de cálcio na corrente sanguínea, já que em alguns casos além da glândula tireoide, a glândula paratireoide (responsável por manter o nível de cálcio no sangue) também é retirada.

Em outros casos, a glândula paratireoide não é retirada mas pode sofrer alguma alteração durante a cirurgia, por isso é importante o acompanhamento médico regularmente.

Para evitar qualquer problema, o ideal é sempre ter uma dieta saudável e equilibrada, até mesmo para evitar possíveis doenças causadas pela má alimentação.

4 – Manter os cuidados com a cicatriz

A cicatriz da cirurgia fica na região do pescoço, que é uma área sujeita a excesso de raios solares, o que pode causar manchas deixando a cicatriz bem aparente.

Então é preciso tomar cuidado com a exposição solar, usando um protetor solar no mínimo FPS30 na região da cicatriz.

Se você for para algum lugar como uma praia ou piscina em que a exposição solar é intensa, proteja sua cicatriz com um band-aid.

Tome esses cuidados por aproximadamente 1 ano, que é o tempo total da cicatrização. Depois disso é importante continuar protegendo, mas os cuidados não são mais tão intensos como no primeiro ano.

5 – Visitar seu médico regularmente

Algumas pessoas que fizeram tireoidectomia fazem acompanhamento com endocrinologista, outros com cirurgião de cabeça e pescoço e outras pessoas acompanham até com os dois juntos.

Independente de qual médico você acompanhe, é importante que você o visite regularmente, respeitando o intervalo solicitado por ele.

Eu estou indo no meu cirurgião a cada 2 meses, pelo menos nesse primeiro ano pós tireoidectomia. Agora que meus hormônios estão bem controlados, provavelmente esse intervalo fique mais espaçado.

E lembre-se: um paciente de câncer só sai totalmente de alta 5 anos após a cirurgia/tratamento. Por isso é importante visitar seu médico sempre que solicitado para acompanhar o andamento da sua recuperação.

Não deixe de visitar seu médico. Nunca!


Tem mais alguém destireoidado aí?

Me conta, como está a sua vida sem tireoide? Eu já contei como a minha vida está aqui nesse post!

Beijokas!

Cuidados pós iodoterapia e vida sem tireoide

Olá!

Eu prometi para vocês que iria fazer um vídeo contando como foram os cuidados que eu tive que tomar após a iodoterapia e também como está a vida sem tireoide.

Acontece que esses últimos dois meses da minha vida estão bem corridos, pois fiz o curso de pilates, fiz os estágios, graças a Deus já consegui um emprego na área então por causa disso fica bem difícil de gravar vídeo, pois já contei pra vocês que pra gravar algo aqui só de madrugada!

Pra não ficar devendo esse conteúdo pra vocês, vou fazer um post escrito mesmo, tá? Melhor isso do que nada, né? Hahaha! 😀

Pós iodoterapia e Vida sem Tireoide

pos-iodoterapia-vida-sem-tireoide-2

Cuidados pós iodoterapia:

Bom, já contei nesse post aqui como foi a iodoterapia, tanto que até gravei um videozinho lá no hospital contando como é o procedimento. Se você não viu, é só dar o play aqui embaixo:

Saí do hospital e a primeira notícia que eu tive foi: Você pode voltar a comer normalmente. UHUUUU!

Cheguei em casa e fui logo atacando uma pizza:

Muita gente tem dúvida dos cuidados que é preciso tomar após a iodo, mas percebi que isso varia muito tanto de hospital como também de pessoa.

Nem sempre todo mundo toma a mesma dose de iodo, por causa disso os cuidados podem ser diferentes. Outra coisa, quando a gente sai do hospital o físico mede nosso nível de radioatividade, então dependendo de quanto está esse nível talvez seja necessário que o cuidado seja diferente.

E como falei no início, cada hospital segue regras diferentes estipuladas pelo médico nuclear e pelo físico, por isso você precisa ter em mente que os cuidados que eu tive podem ser diferentes para você, ok?

Vou falar os cuidados que EU, Manuela, tive que tomar. Durante 5 dias eu precisei:

– Não dormir na mesma cama com outra pessoa

– Não ter contato com mulheres grávidas, crianças e animais

– Ter o mínimo possível de contato com as outras pessoas da casa, e se precisar ficar por mais tempo no mesmo ambiente que os outros, ficar a mais ou menos 2 metros de distância deles

– Lavar as roupas e roupas de cama separadas das outras roupas

– Não fazer xixi no ralo

– Dar sempre duas descargas após o uso do banheiro

O que eu fiz:

Aproveitei que minha casa tem um quartinho nos fundos e pedi pra minha mãe deixar lá alguns pertences que eu pudesse precisar, como alguns cosméticos, etc. Lá também tinha um banheiro com chuveiro, então não saia do quartinho por nada, hahaha!

Eu até podia, se quisesse, ir na minha casa e bater um papo com meus pais, desde que eu ficasse a 1 metro de distância deles. Mas o Mingau ficava por lá e como eu não poderia ter contato nenhum com ele, eu evitava de ir o máximo possível.

Quando precisava ir, eu pedia pro meu pai trancar ele no quarto. Eu entrava, resolvia o que tinha pra resolver e já voltava correndo.

Levei meu notebook, iPad, celular e ficava o dia todo conversando com os amigos, namorado e vendo seriado no Netflix.

Minha mãe levava a comida pra mim, eu comia e depois ela voltava pra buscar o prato. Me senti em um hotel 5  estrelas. Se precisasse ficaria mais uns 15 dias assim, eu nem ligaria, hahaha!

Os 5 dias passaram rapidinho e no sexto dia eu já voltei pra minha vida normal!

Após 7 dias de iodoterapia voltei ao hospital para realizar a PCI, pesquisa de corpo inteiro, que serve para verificar se restou alguma célula maligna após a realização do procedimento com iodo.

O exame é suuuuper sossegado! Você deita numa cama e ela anda bem devagarinho dentro de um troço redondo. Demora mais ou menos uns 20 minutos, é bem rápido.

Peguei o resultado do exame após alguns dias, levei no meu cirurgião e graças a Deus, eu estava livre do câncer! 😀 😀 😀

Vida sem tireoide:

cicatriz-cirurgia-tireoide-iodoterapia-desejos-de-beleza

Desde a primeira semana pós cirurgia eu venho tomando o Puran T4 de 100mg, que segundo meu médico é uma dose meio “genérica” para eu ir tomando até fazer os exames de sangue e poder dosar a quantidade ideal de hormônio que precisarei tomar.

Confesso que não acostumei ainda com essa história de tomar remédio todo santo dia ao acordar, e já esqueci de tomar uma vez ou outra.

O que aconteceu quando eu esqueci? Nada.

Mas isso não significa que pode esquecer, hein? Segundo o meu endocrinologista, o esquecimento pode causar um aumento do TSH e isso pode levar a um aparecimento de um novo câncer. Minhanossinhora, depois que ele falou isso nunca mais eu esqueci, haha!

E como está a minha vida sem tireoide? Exatamente igual a minha vida de quando eu tinha tireoide.

Quer dizer, tiveram algumas mudanças e eu nem sei dizer se foram causadas por isso.

Eu fiquei um pouco mais enjoada pra comer (mas isso eu sempre fui), e isso me fez perder alguns quilinhos.

Fiquei um pouco sonolenta, mas dormir é o que eu faço de melhor então sono nunca fui um problema na minha vida. E só.

Continuo igualzinha antes. Não tive alteração de humor, não fiquei depressiva, não tive queda de cabelo, não tive nada.

Tô inteirona!

Eu só pude fazer os exames de sangue para verificar a quantidade de hormônio que eu tinha agora, dois meses após a iodo, porque segundo meu médico a injeção de Thyrogen que tomei (falei dela aqui) deixa o TSH mutcho loko e isso pode acabar alterando o resultado.

Fiz o exame mas ainda não fui no médico pra ele ver o resultado, então não sei ainda se vou manter essa dose de hormônio ou se vou precisar aumentar ou diminuir. Conto pra vocês no Instagram. Não me segue??? Num quidito! Então aproveita e me segue agora, é só clicar no botão “seguir” aqui embaixo! 😀


Espero que esse post tenha ajudado vocês de alguma forma.

Se ainda sobrou alguma dúvida, é só perguntar. 😉

Beijokas!

Câncer de tireoide : Dieta para Iodoterapia

Olá!

Já falei procês aqui no blog que tive câncer de tireoide e por isso precisei passar por uma cirurgia para retirada da glândula.

A cirurgia é a primeira parte do tratamento de câncer e lá no post eu falei tudinho sobre como foi a cirurgia e recuperação.

cicatriz-cirurgia-tireoide-iodoterapia-desejos-de-beleza

Agora eu vou pra segunda parte, que é a iodoterapia.

Eu já expliquei mais ou menos como funciona o tratamento no primeiro post, mas vou explicar de novo caso você esteja chegando aqui no blog agora!

A diferença entre o iodo convencional e o iodo radioativo

A tireoide é a única parte do corpo humano que é sensível ao iodo. Inclusive, o iodo é uma substância que faz bem para a saúde pois ajuda a prevenir o câncer e doenças de tireoide. (não funcionou comigo, hihihihi).

Justamente por ser benéfico, mas por não ser tão facilmente encontrado em alimentos, o Ministério da Saúde criou uma legislação que obriga que todos os fabricantes a acrescentarem iodo no sal, por isso que se você for lá na sua cozinha e pegar um pacote, vai estar escrito lá: sal iodado.

Ou seja, tudo que é comida salgada vai ter iodo! E esse iodo vai ajudar a deixar sua tireoide saudável!

Agora, o iodo radioativo que é o utilizado para o tratamento do câncer é um pouco diferente.

Como o próprio nome diz, esse iodo tem um grande poder radioativo e por isso consegue destruir toda e qualquer célula de tireoide que tenha sobrado no corpo humano. Ele faz o que uma quimioterapia e radioterapia fazem com os tumores no geral, mas o iodo radioativo faz isso apenas nas células da tireoide.

A cirurgia para retirada da tireoide é realizada e logo em seguida é indicado o tratamento, porque caso alguma célula maligna tenha ficado pra trás, o iodo radioativo vai lá assassiná-la! E as outras células do corpo vão ficar lá bonitinhas, já que esse iodo só mata células da tireoide. É um tratamento seguro e que não traz efeitos colaterais.

Por isso que em câncer de tireoide o tratamento escolhido é sempre a radioiodoterapia. A minha está marcada para o dia 10 de abril e eu também vou fazer post contando todos os detalhes sobre ela! 😉

Dieta pré iodoterapia

Antes de fazer a iodoterapia é preciso fazer uma dieta e ter alguns cuidados especiais. Basicamente é preciso eliminar todo o iodo bom que eu tenho no corpo.

Como vou receber uma dose grande de iodo radioativo, é indicado que não tenha nada de iodo bom no corpo para que o efeito do radioativo não seja amenizado.

Vou falar como vai ser a minha, mas cada médico tem uma conduta diferente a ser seguida e é preciso seguir o que o SEU MÉDICO estipulou, ok?

O que não posso comer

Primeiramente tive que comprar um sal sem iodo, já que como falei anteriormente, é preciso tirar todo o iodo do meu corpo.

Eu comprei o meu sal sem iodo na Casa Americana, que fica no bairro da Santa Cecília em São Paulo. Mas eles também mandam via Correios caso você precise e não more por aqui.

Toda minha comida vai ter que ser temperada com esse sal. Por causa disso eu não vou poder comer nada fora de casa e nada industrializado, afinal tudo é temperado com sal tradicional, né?

Eu também não posso comer temperos industrializados como caldo Knorr, Sázon e Ajinomoto (sei que faz mal, mas amo esses temperos!).

Resumindo: Nada de Mc Donalds, nada de Burguer King, nada de Habib’s, nada de Giraffa’s… #chateada

E também não vai dar pra comer na casa dos amigos e parentes, afinal você não obrigá-los a cozinhar sem temperos e com sal especial, né? Hahaha!

Mais coisas que eu não posso comer:

  • Peixes, camarão e frutos do mar
  • Salgadinhos e batata frita industrializada
  • Leite, queijo, requeijão, iogurtes, leite de soja, tofu, sorvete
  • Carne defumada, carne de sol, presunto, salsicha, linguiça, mortadela, bacon
  • Gema de ovo, maionese e molho shoyu
  • Frutas em lata ou calda
  • Enlatados e conservas no geral
  • Agrião, aipo, couve de bruxelas e repolho (já não comia nada disso mesmo, haha)
  • Pães industrializados, cereais industrializados, pizza (OMG!)
  • Doces derivados do leite, doces com ovos, chocolate (OMG!!!)
  • Café instantâneo e chá

É isso mesmo que vocês leram: Manu vai ficar sem pizza, sem esfiha e o pior: sem chocolate na páscoa. Snif, snif.

Segundo meu médico, tudo o que não está na lista acima está liberado. Mas não me recordo de muitos alimentos gostosos que não fazem parte da lista acima…

Vou ter que fazer essa dieta 15 dias antes do meu tratamento, ou seja, a sessão tortura alimentar começa amanhã.

Cuidados especiais

20 dias antes do tratamento (ou seja, desde sábado pássado) eu não vou poder:

  • Ir à praia (não pode tomar banho de mar)
  • Usar xarope pra tosse
  • Usar antissépticos a base de iodo
  • Usar Álcool iodado
  • Usar Bronzeadores com iodo
  • Usar esmaltes (OMG!!!!!!!!!)
  • Usar tinturas de cabelo (OMG!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!)

Como eu sou uma pessoa Chapolin que tem todos os movimentos friamente calculados, retoquei meu cabelo semana passada antes de começar o preparo.

E graças a todas as minhas orações para São Judas Tadeu, o santo das causas desesperadas, o médico liberou o uso de maquiagem, hahaha!

De qualquer forma eu estou optando por usar maquiagem mineral, que tem menos componentes químicos e acredito que seja melhor.

Não vou precisar parar o hormônio

Na iodoterapia é necessário parar de tomar o hormônio por uma quantidade de dias estipulada pelo médico, que varia de 15 a 30 dias antes do tratamento.

O pessoal que fica sem tomar hormônio relata que é a sensação é horrível e você fica bem mal quando para de tomar.

Mas atualmente existe uma injeção chamada Thyrogen, e com ela você pode tomar o hormônio normalmente e não precisa parar para realizar a iodoterapia.

O meu médico me receitou a injeção e por isso eu não vou precisar parar de tomar o hormônio, então não vou ter os efeitos colaterais horríveis pela falta dele.


Amanhã eu começo tudo isso e sei que vai ser chatinho, mas é pro bem da minha saúde então eu nem ligo muito.

Já sou abençoada por ter descoberto a doença no início então tô levando tudo na esportiva!

E que comece a #dietaSemIodoDaManu !

Beijokas!

Eu, eu mesma e um câncer de tireoide

Olá!

Finalmente vou fazer um post falando um pouco mais sobre esse probleminha que me afligiu por esses últimos dias.

Inicialmente confesso que eu não sabia se iria falar sobre o assunto. Afinal, é algo tão delicado, né?

Mas depois pensei que é muito mais fácil passar esses problemas acompanhada do que sozinha, e qual companhia melhor que vocês? <3

Sem contar que provavelmente nesse momento várias pessoas estão passando pelo mesmo problema, então acredito que meu post vai ajudar muita gente que também sofre com essa doença.

Pensei em fazer um post só sobre o assunto, no final de tudo. Mas também achei que seria melhor fazer tipo um diarinho sobre o tratamento, para que vocês possam acompanhar em tempo real.

Então, vamos começar pelo começo!

tireoide

Como eu descobri?

Se você acredita em Deus (assim como eu), saiba que eu tenho certeza que teve um dedo Dele nessa história toda.

Eu faço exames de rotina todo ano com minha clínica geral, que é minha médica desde que eu tinha 15 anos.

Todo ano eu fazia os exames comuns: sangue, urina, raio-x, essas coisas de sempre.

Até que ano passado, por eu ter acabado de completar 30 anos, minha médica resolveu fazer um check-up completão. Além dos exames normais, ela pediu dois exames do coração e um ultrassom de tireoide.

É importante frisar aqui que ultrassom de tireoide não é um exame rotineiro. Geralmente os médicos pedem exame de sangue e nele medem a quantidade de T3 e T4, hormônios fabricados pela tireoide. E também fazem um exame de palpação do pescoço a procura de nódulos.

Caso haja alguma alteração no exame de sangue ou algum nódulo no pescoço, aí sim o médico pede o ultrassom.

No meu caso, eu não tinha nenhuma alteração sanguínea e  nem nódulo, mas Deus colocou a mão na cabeça da minha médica e ela “do nada” resolveu pedir esse exame.

Lembro até hoje dessa consulta:

– Tô te pedindo vários exames de sangue e do coração, pra gente ver como seu corpo tá funcionando.

– Ah, vamos pedir um ultrassom de tireoide também, não custa nada.

O resultado do ultrassom

Quando minha médica pegou o ultrassom, ela viu dois pequenos nódulos na imagem.

Na hora ela já me alertou que nódulos na tireoide são bem comuns e que eu não precisaria me preocupar tanto ou ficar com medo. Até porque cerca de 90% dos nódulos de tireoide são benignos.

Mas ela disse que eu precisava investigar e me encaminhou para um endocrinologista.

No endocrinologista

Quando cheguei no endocrinologista ele já me alertou dizendo o mesmo que minha médica, que a maioria dos nódulos de tireoide são benignos, que eu não tinha porque me preocupar ainda.

Então ele me pediu uma punção de tireoide, um exame em que uma agulha é injetada diretamente no nódulo dentro da tireoide (dói!).

O líquido recolhido é enviado para análise para verificar se o nódulo é benigno ou maligno.

Resultado da punção

Existem basicamente 3 resultados de uma punção de tireoide: benigno, maligno e suspeito.

Além disso o resultado vem com uma classificação chamada de Bethesda, específico para exames citológicos da tireoide.

Classificação de Bethesda
Classificação de Bethesda

O meu resultado foi: Classificação de Bethesda IV – Suspeito de neoplasia folicular.

Ou seja, meus nódulos eram suspeitos, podiam tanto ser malignos como benignos.

Nesses casos os médicos realizam a cirurgia de tireoidectomia, que é a retirada parcial ou total da tireoide, pois se existe a possibilidade de ser maligno é melhor cortar o mal pela raiz logo.

Mas a certeza mesmo que ele seria maligno ou benigno eu só iria descobrir depois da cirurgia.

Com esse resultado, o endocrinologista me encaminhou para um cirurgião de cabeça e pescoço.

A cirurgia de tireoidectomia

Fui ao cirurgião de cabeça e pescoço e ele já pediu os exames pré-operatórios, além de me explicar passo a passo como seria a cirurgia.

Como estava perto do natal e eu não queria passar as festas de molho, perguntei se podia adiar a cirurgia.

Ele disse que não teria problema e minha cirurgia ficou marcada para o dia 30 de janeiro.

Meu médico me disse que ele iria abrir, retirar o tumor da tireoide e enviar para análise ainda dentro do centro cirúrgico, porque caso fosse benigno, ele iria manter pelo menos a metade dela.

Depois da cirurgia o médico foi falar com minha mãe e confirmou o diagnóstico:

“Era um tumor maligno e tive que retirar a glândula tireoide inteira. A parte boa é que retirei tudo, e com isso ela tem 100% de chances de cura.”

Então assim, foi um susto que passou rápido. Ao mesmo tempo que descobri que era câncer, descobri que eu não o tinha mais, hahaha!

A recuperação

Diferente das outras cirurgias que já fiz (nódulo de mama, nariz e vesícula, sou toda remendada), essa recuperação foi um pouco mais complicada.

Passei bem mal após acordar da anestesia e me senti muito mais cansada, afinal essa cirurgia foi bem mais agressiva que as outras.

Saí do hospital no dia seguinte e o maior incômodo é a sensação de garganta inflamada constante, que também é normal no caso da tireoidectomia e que costuma sumir depois de 1 semana mais ou menos.

Hoje, 5 dias após a cirurgia, ainda sinto esse incômodo na garganta que atrapalha um pouco pra comer. Sinto também uns enjoos esporádicos e queimação no estômago, que o médico disse ser causado pelo excesso de medicamentos.

Acabo de voltar no consultório médico para a primeiro retorno pós cirurgia. Ele só olhou os pontos para ver se estava tudo certo com eles e já me receitou os hormônios que precisarei tomar.

No início ele me passou uma dose geral, só até eu fazer o tratamento com iodo. Depois disso alguns exames de sangue serão feitos para regular a quantidade de hormônios até chegar numa dose que seja ideal pra mim.

O tratamento – Iodoterapia

Diferente dos outros tipos de câncer, o tumor de tireoide não responde bem aos tratamentos de quimio e radioterapia.

Nesses casos o tratamento utilizado é a iodoterapia.

Ele é relativamente simples, é só tomar uma quantidade de iodo estipulada pelo médico e pronto.

A parte chata mesmo é a preparação para o tratamento, que precisa de dieta especial, ficar sem maquiagem (pronto, morri agora) e mais alguns outros cuidados. O tratamento deve ser feito em um local especializado e é preciso ficar em isolamento total, pois o iodo é radioativo.

Nem todo mundo que têm o câncer de tireoide precisa fazer esse tratamento, depende muito do tipo do tumor.

Eu vou precisar fazer e vou contar aqui no blog como vai ser essa preparação e o tratamento.

A reposição hormonal

A tireoide é responsável pela fabricação dos hormônios T3 e T4, que controlam todo nosso corpo. É impossível viver sem esses hormônios e quando a tireoide é retirada, é preciso fazer uma reposição desses hormônios via comprimido, pra sempre.

O cirurgião de cabeça e pescoço junto com o endocrinologista indicam a quantidade de hormônio a ser tomada, quantidade essa que varia de pessoa para pessoa.

É preciso um tempo de adaptação entre o paciente e o médico até que se possa dosar a quantidade ideal de hormônio para cada caso.


Bom, acho que nesse primeiro momento é isso que tenho pra falar.

Por mais que tenha sido um susto, passou rápido! E agora vou me preparar pra fase mais chata do tratamento que é a iodoterapia.

Eu estou agradecendo a Deus todos os dias por essa chance que Ele me deu, porque eu nunca teria descoberto esse câncer no início se minha médica não pedisse esse exame.

E claro, posso dizer que a médica foi o anjo que Deus mandou para me dar uma segunda chance na vida!

Quero agradecer do fundo do coração todo o apoio que vocês me deram na cirurgia e continuam me dando agora, após o diagnóstico!

Vocês me ajudaram a me deixar mais calma para a cirurgia e estão me dando ânimo para continuar com o tratamento.

E lá vou eu ficar radioativa! Hahaha!

Muito obrigada! <3

Beijokas!